Como se recolocar no mercado de trabalho?

O número de desempregados no Brasil chegou a 12,234 milhões de pessoas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Desde a primeira semana de maio, início da série histórica da pesquisa do IBGE, o total de pessoas desempregadas cresceu 24,6%, o que correspondente a 2,4 milhões de pessoas a mais em busca de emprego.

A crise econômica com o novo coronavírus, que fechou cerca de 522,7 mil empresas pelo país na primeira quinzena de julho, aumentou também o número de pessoas procurando por novas oportunidades de trabalho. Mas como se recolocar no mercado em meio à crise que assola o país? Veja dicas de Erika Linhares, executiva especializada em comportamento em organizações, palestrante e pedagoga.

1. Não se culpe. Não é momento de se culpar ou se sentir menos competente por ter sido demitido. Estamos vivendo uma crise mundial. E toda crise influencia empresas, pessoas e o mercado de trabalho. Os pedidos de seguro-desemprego, por exemplo, aumentaram 13,4% em 2020 em relação ao mesmo período de 2019. Até o momento, foram 502 mil pedidos a mais.

Peça ajuda se não estiver se sentindo emocionalmente bem. Desabafe e se fortaleça. Isso é importante para se sentir seguro e pronto para procurar um novo emprego.

2. Pense como pode melhorar. Depois de superar o momento de fragilidade da perda de emprego, prepare-se para agir e buscar novas oportunidades. Analise se você possui habilidades que precisa melhorar e corra atrás de cursos para aprimorar seu aprendizado. Se o inglês não está bom, por exemplo, busque um curso para voltar a praticar. Invista tanto em melhorar habilidades técnicas, como também as comportamentais. É no pior momento que temos que investir em nós mesmos para melhorarmos porque vamos enfrentar mais concorrência.

3. Parta para a ação. Atualize seu currículo profissional e também o Linkedin. Vá atrás de empresas que tem interesse em trabalhar e busque oportunidades de trabalho nelas. Direcione o seu currículo para a vaga que tem interesse. Deixe claro qual é o cargo que deseja e seus reais objetivos profissionais. Não deixe de usar o networking, que é fundamental. Quando há muitos profissionais concorrendo para uma vaga, a indicação é muito importante na escolha do profissional. Não tenha vergonha e peça uma indicação.

4. Prepare-se bem para a entrevista. Pesquise muito bem sobre a empresa que está se candidatando. Planeje também o que irá falar sobre si mesmo. Tenha na ponta da língua as principais experiências que já teve e explique quais resultados você já conquistou. Detalhe de forma objetiva quais foram os principais desafios que enfrentou, quais estratégias adotou e o que aprendeu com cada um.

5. Não desista. Se não conseguiu aquele emprego que tanto estava esperando, não se deixe desgastar e perder energia. Persista e busque outras oportunidades. Se não estiver se sentindo bem, como irá se sentir seguro em uma próxima entrevista? Prepare-se e se sinta vencedor desde já. Seja resiliente!

Sobre Erika Linhares: Executiva especializada em comportamento e cultura dentro de organizações, chegou a ser sacoleira aos 15 anos quando o pai, dono de uma imobiliária, perdeu tudo na década de 90. Trabalhou ainda na área pública na Prefeitura de Sete Lagoas, em Minas Gerais. Depois de entrar na faculdade de pedagogia, começou a carreira no sistema privado aos 19 anos, ganhando R$ 350 reais como atendente de loja. Vinte anos depois, deixou o mercado corporativo como diretora nacional de uma das maiores empresas do Brasil para atuar como gestora de carreiras em sua empresa, a B-Have. Mais de 15 mil pessoas e 600 parceiros comerciais passaram pela gestão da executiva.

Compartilhar
Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.